top of page
Buscar
  • Foto do escritorAlexandre Barbosa

3-2-1


Semanalmente, recebo, um email do James Clear, autor de Hábitos Atômicos que, diga-se de passagem, super recomendo. Uma excelente leitura de caráter bem prático.

Além do conteúdo ser muito interessante, o assunto do email começa sempre do mesmo jeito: 3-2-1 <alguma coisa>. Esse 3-2-1 significa 3 ideias, 2 citações e 1 pergunta para considerar na semana.

Na semana passada, o assunto foi 3-2-1: Resultados mágicos, ser ousado e a persistência da natureza e uma das citações foi a do fazendeiro e escritor, Wendell Berry, sobre a persistência dos rios:


"Para um rio, como para qualquer força natural, uma obstrução é apenas uma oportunidade. Pois a natureza do rio é fluir; não é apenas espacial em dimensão, mas também temporal. Todas as coisas devem ceder ao impulso da água em tempo, se não hoje, amanhã ou daqui a mil anos. Se o seu caminho está obstruído, então ele contorna a obstrução ou passa por cima ou por baixo dela e, passando por ela, desgasta-a. Os homens podem represá-la e dizer que fizeram um lago, mas ainda será um rio. Ele manterá sua natureza e aguardará seu tempo, como um animal selvagem enjaulado, alerta para a menor abertura. Com o tempo, ele seguirá seu caminho; a represa como os antigos penhascos será carregada aos poucos nas correntes.”

Muito tem se falado sobre resiliência, especialmente quando o assunto é atingir resultados inovadores, resultados de ruptura, a alta performance das equipes.

No meu livro, a ser publicado esse ano - A Alta Performance dos Comandos Anfíbios - proponho uma redefinição sobre alta performance, pois acredito que muito além da resiliência, a combinação de capacidades escaláveis e ágeis define o sucesso das empresas, A resiliência, combinada à agilidade, deve ser o novo foco dos líderes.


E como o líder fomenta essa fluidez na sua equipe, na sua organização?


Esse artigo não tem espaço para uma resposta completa (espero que você leia o livro para isso), mas quero abordar parte dela.

Em síntese, o desenvolvimento dessa agilidade, assim como de qualquer estratégia, depreende da necessidade de alocação dos seus recursos.

Então, já que citei sobre alocar recursos, vou usar uma abreviação CAPEC, parecida com a de Capital Expenditure – CAPEX, para ajudar você a se relembrar de cinco áreas de investimento que aumentarão a capacidade da sua equipe no desenvolvimento dessa fluidez:


Confiança: Primeiro requisito para o desenvolvimento da agilidade, da fluidez.

Invista no desenvolvimento de um ambiente e confiança. Seja confiável e confie.

Equilibre sua propensão a confiar com uma análise racional se deve ou não confiar, considerando a situação, a credibilidade da pessoa e o risco de confiar naquela situação específica.

"Confiança depreende caráter e competência" (Speed of Trust – Stephen R. Covey), bem como "autenticidade, lógica e empatia" (Unleashed – Francis Frei).

Adaptabilidade: Comece a reconhecer a capacidade das pessoas.

Considere a performance adaptativa, ou seja, a capacidade de divergir do plano para atingir os resultados.

Propósito: Deixe claro o propósito da sua organização.

Sem propósito não há nível de engajamento suficiente à fluidez.

Especialista: Entenda a especialidade, a genialidade, de cada membro da sua equipe.

Desapegue-se da hierarquia e consolide na sua mente que o papel de líder é uma escolha (da sua equipe) e não uma posição.

Comunicação: Seja claro, transparente e realista.

As pessoas só desejarão contribuir para a solução se sentirem que fazem parte do problema. Deixe tudo às claras e aponte os diversos cenários possíveis, diante da situação que sua organização está vivendo.


As análises de mercado demonstram claramente que as empresas ágeis possuem um desempenho melhor e se movem mais rapidamente, especialmente nas crises.

Em resumo, desenvolva a agilidade, desenvolva a fluidez!


10 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page