Buscar
  • Alexandre Barbosa

Pandemia e Propósito

Atualizado: 24 de Jun de 2020

Em 1988, uma senhora, revirando seu sotão, descobriu um segredo sobre atividades que seu marido tinha realizado, há 5 décadas.

Essa senhora era a esposa de Nicholas Winton, um britânico que organizou o resgate de 669 crianças, em sua maioria judias, na antiga Checoslováquia, antes delas serem deportadas para campos de concentração nazistas, salvando-as da morte certa, em 1939, antes do início da Segunda Guerra Mundial. Por seus feitos foi muitas vezes chamado de “Schindler britânico”, em referência a Oskar Schindler (sua história pode ser encontrada na Internet e também em um documentário eslovaco de 2002 dirigido por Matej Mináč, chamado Nicholas Winton: The Power of Good).

Muitas coisas me impressionaram quando li sobre o Sir Nicholas Winton.

Além de não ter divulgado seu incrível trabalho humanitário, fiquei imaginando as dificuldades que ele teve para ajudar aquelas crianças.

Pense como era o mundo era em 1939! Só para ajudar: O primeiro cabo submarino que permitiu chamadas telefônicas de grande distância só seria instalado 17 anos depois, em 1956.

Dá para imaginar as dificuladade de comunicação que havia em 1939?

Como coordenar uma operação logística tão complicada?

Além disso, a Segunda Guerra Mundial estava na eminência de começar. Inclusive, o nono trem, com 250 crianças, não pôde partir porque, em setembro de 1939, pois o Reino Unido declarou guerra à Alemanha. Essas crianças nunca mais foram vistas…

Como explicar a alta performance atingida pelo Sir Nicholas Winton, diante de uma tarefa tão grande, com tão poucos recursos e diante de um cenário tão adverso?

No seu livro Primed to Perform, Neel Doshi enuncia três motivos que contribuem para a alta performance, um deles é o Propósito!

O motivo do Propósito ocorre quando você faz uma atividade porque valoriza o resultado da atividade (versus a própria atividade). Você pode ou não gostar do trabalho que realiza, mas valoriza seu impacto.

E a pergunta que você pode estar fazendo agora é – Como criar, como comunicar o Propósito para minha organização? Quais características esse Propósito deve ser possuir?

Entre os Comandos Anfíbios, usamos um cumprimento – AUICA! – que quero usar como acrônimo para ajudar você a responder essas perguntas.

O Propósito precisa ter 5 características:

Autêntico – Não alardeie um Propósito “grandioso” que não esteja fundamentado, realmente, nassuas verdadeiras intenções. Além de não funcionar, só vai piorar as coisas.

Único – Sua organização é única! O Propósito também precisa ser. Quanto maior o seu diferencial, mais poderoso será.

Inspirador – O Propósito precisa inspirar os membros da sua organização, precisa estar conectado com seus mais profundos valores.

Compartilhado – As pessoas que estão no “seu ônibus” precisam compartilhar desse Propósito, você precisa compartilhar com todos. Aloque seus recursos para isso.

Alcançável – Sem lucro não existe missão! Não há como alcançar um Propósito se você não gerar os recursos necessários para atingi-lo.

Em meio a esse cenário que a pandemia nos colocou, as organizações com Propósito AUICA poderão criar as condições necessárias para que seus colaboradores sejam capazes de ajudá-las a superar quaisquer obstáculos, assim como o “Schindler Britânico” fez para salvar aquelas 669 crianças!

21 visualizações2 comentários

Posts recentes

Ver tudo

A Arte de Liderança dos Comandos Anfíbios

Em breve, vou lançar o livro A Arte de Liderança dos Comandos Anfíbios - Os 7 Princípios da Tropa de Operações da Marinha para Equipes de Alta Performance. Você quer ter uma equipe de alta performance