Buscar
  • Alexandre Barbosa

Idea Brilhante

A coisa era simples!

Cerca de 20 homens, divididos em 3 embarcaçōes pneumáticas (zfirs), com armamento, mochilas, provisōes para uma semana, muniçōes e outras parafernalhas. Era só descer as zfirs, todo o material e pular para dentro das mesmas.

Só tinha um detalhe que mostrava que nem tudo que é simples é, necessariamente fácil: Estávamos dentro de um Rebocador, pequeno navio da Marinha e o mar estava quase tão agitado quanto eu!

Acho que era a primeira missão, depois de eu ter concluído o curso de Comandos Anfíbios.

No convés do rebocador, minha equipe ou, como chamávamos, meu GruCA (Grupo de Comandos Anfíbios), aguardava a idéia brilhante que eu deveria ter para desembarcarmos, nas proximidades de alguma costa que não me lembro o nome.

Claro que eu havia sido treinado para liderar o GruCA nas mais variadas situaçōes, mas com certeza o contexto que se apresentava era totalmente novo para mim.

Respirei fundo, assumi a presunção que todo Tenente parece ter e comecei a designar terefas para ensaiarmos como varíamos isso, a noite. (pois é, deixei o melhor para o final né? O desembarque seria de noite e precisávamos ensaiar durante o dia).

No meio disso tudo, olhei para um sargento que estava atrás do grupo, fazendo algum comentário inaudível para mim. Ele tinha pertencido a equipe de instrução do meu curso e parecia ter bastante experiência nessas técnicas de infiltração.

– Sargento, talvez você tenha alguma sugestão melhor do que a minha. – desafiei.

O GruCA inteiro olhou e ele ficou quieto, como que tentando reforçar que eu era o comandante, o senhor supremo das decisões.

– Sargento, – falei energicamente – avance até aqui.

Realmente ele tinha uma ideia brilhante! Realizamos vários ensaios e na noite do desembarque tudo funcionou como um relógio! Missão Cumprida!

Sua capacidade de liderança não está em ter todas as idéias brilhantes, mas de liderar seus melhores subordinados para que essas idéias possam ser criadas e executadas.

Contrate pessoas melhores ou, no mínimo, tão boas quanto você pensa que é.

Avalie suas ideias como se suas fossem. Se sua decisão for a de seguir a ideia de algum liderado e der certo, dê a ele o mérito.

Se der errado, assuma as consequências e a responsabilidade, pois afinal, ela é sua mesmo!

2 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

A Arte de Liderança dos Comandos Anfíbios

Em breve, vou lançar o livro A Arte de Liderança dos Comandos Anfíbios - Os 7 Princípios da Tropa de Operações da Marinha para Equipes de Alta Performance. Você quer ter uma equipe de alta performance